sábado, 13 de novembro de 2021

GRINGOS GO HOME

Nicarágua votou pelo desenvolvimento com inclusão e contra o neoliberalismo 

Beto Almeida 

Passei 10 dias na Nicarágua, realizando a cobertura das eleições gerais, realizadas no dia 7 de novembro, para a Telesur, e pude comprovar a normalidade e a legalidade do processo eleitoral, com centenas de observadores eleitorais e de jornalistas de várias partes do mundo, inclusive dos EUA e Canadá, mas, sobretudo um povo consciente do significado histórico deste pleito, no qual o candidato da Frente Sandinista de Libertação Nacional. Daniel Ortega, alcançou 75 por cento dos votos válidos.  Havia dois projetos em disputa: aprofundar e consolidar um modelo de desenvolvimento com inclusão social, em vigor desde que os sandinistas voltaram ao governo pelo voto, em 2006, ou o projeto dos 5 partidos políticos de oposição, a submissão ao neoliberalismo. 


Não se tratava apenas de uma eleição a mais. Isso porque Nicarágua vem sendo cada vez assediada e atacada pelos EUA e seus súditos, tais como Espanha, Canadá, Costa Rica, União Europeia em seu conjunto. Não podem ser considerados normais, pelo o imperialismo, processos eleitorais em que seus adversários são vencedores, como é o caso do sandinista Daniel Ortega, sobretudo pelas políticas que vem implementando no país, opostas ao neoliberalismo, que, já tinha tido a sua oportunidade, quando Violeta Chamorro venceu as eleições em 1990 e destruiu todas as políticas públicas de cunho socialista, implantadass pelo sandinismo, a partir do Triunfo da Revolução Popular, em 19 de julho de 1979.  


No desastroso período neoliberal, de três mandatos, os três presidentes apoiados pelos EUA, Chamorro, Alemán e Bolaños, destruíram o sistema de educação pública e gratuita, tendo como efeito imediato a volta do analfabetismo, que havia sido erradicado pela Revolução Sandinista, logo ao início, com a Cruzada contra o Analfabetismo, com a aplicação de metodologia desenvolvida pelo brasileiro Paulo Freire. Houve cortes radicais nos investimentos em educação pública, suspendendo a contratação de professores, favorecendo a escola privada, inclusive as católicas, bem como um freio absoluto no investimentos em saúde pública, cujo resultado foi, para quem podia pagar, havia clínicas privadas, mas para quem não podia, que se virasse nos hospitais públicos que sobraram, sem investimentos, sem contratação de pessoal de saúde adequado. Foi a continuidade da guerra da Contra, por outros meios, pela demolição do setor público e imposição do Estado Mínimo, uma verdadeira guerra contra os direitos do povo.  Os indicadores em saúde e educação despencaram. Sem investimentos, junto com o analfabetismo, voltaram o desemprego em massa, a mendicância, doenças que já haviam sido erradicadas. 



Alternância de Poder?  


Diferentemente de alguns ex-comandantes da Revolução, Daniel Ortega meteu-se de cabeça nas lutas populares, nas mobilizações, nas barricadas populares contra os crimes dos neoliberais. Esse foi o período da alternância de poder, recomendada por alas da esquerda com escasso conhecimento da realidade nicaraguense, com o que, deste modo, prostram-se diante da tragédia neoliberal, trazendo à tona a incontornável conclusão: na Nicarágua, a alternância de poder é entre Sandinismo ou Imperialismo! Façam suas escolhas senhores, pode-se indagar aos que estavam incomodados com a escolha do voto popular em Daniel Ortega desde 2006. Os sandinistas voltaram ao poder pelo voto porque, após a derrota, ao invés de passividade, descrença e decepção nas massas, diante da eleição de presidentes neoliberais, em eleições manipuladas e fraudadas pelos EUA, a FSLN manteve a luta incansável contra o desastre do neoliberalismo colonial que destruía a Nicarágua. Nestas eleições, as massas nicaraguenses responderam aos que sugeriram aos sandinistas acatar a alternância do poder, votando em repúdio às políticas neoliberais e em apoio ao modelo de desenvolvimento com inclusão. 



A solidariedade de Cuba e Venezuela:  direitos humanos pra valer! 


Desde 2007, o país retomou a prioridade nas políticas públicas para, novamente, construir a educação gratuita e universal, a saúde pública e gratuita, contando com o apoio de Cuba, que formou centenas de médicos nicaraguenses na Escola Latino-americana de Medicina, em Havana. O estado mínimo neoliberal havia trazido os apagões por horas a fio em toda a Nicarágua, e neste momento foi decisiva a ajuda solidária da Venezuela Bolivariana, que, por orientação de Hugo Chávez instalou várias plantas de produção de energia elétrica, trazendo normalidade, tirando o país da escuridão promovida pelo neoliberalismo. 


Com Daniel Ortega de volta ao poder, em 2006, Nicarágua deu um giro em sua política externa e passa a ser atacada pela OEA, uma espécie de ministério colonial dos EUA. Sem abandonar a OEA, onde sustenta posição soberana e anti-imperialista, Nicarágua se soma à Alba, à Celac, à Telesur, desenvolve amplas relações com vários países do mundo, não apenas com Venezuela e Cuba, mas também com Rússia, com quem mantém excelente relacionamento em vários campos, inclusive na Defesa. Desta vez pudemos observar 200 ônibus novos que a Rússia doou a Nicarágua, circulando pelo pela capital Manágua. 

O modelo inclusivo 

Os investimentos do estado, sob o sandinismo, priorizam políticas públicas que resultem em elevação das condições concretas de vida dos nicaraguenses, via expansão de atividades produtivas. Houve investimentos pesados em eletrificação, cuja cobertura hoje alcança a 98 por cento do território do país. Será que o Brasil e Argentina, os dois países mais industrializados da América Latina têm isto? Além do que, foi empreendida uma diversificação da produção energética, hoje uma combinação de hidroeletricidade, petróleo, biomassa, energia geotérmica (captada dos vulcões ainda ativos) e energia solar e eólica. Democratizado o acesso à energia, com o barateamento das tarifas, e implantação de tarifas sociais, a economia do país recebe forte impulso, sobretudo a economia rural, com elevação da produção de alimentos, fazendo com a Nicarágua alcançasse, 2017, a auto suficiência na produção alimentar, transformando-se em grande exportadora para a Centro América, para Venezuela e também para os EUA, que compram carne, café e ouro dos nicaraguenses. Biden ataca duramente a Nicarágua, mas os analistas mais experientes destacam que ele não fala nunca em romper relações, nem há, nos estatutos do CAFCA, mecanismos que possibilitem a expulsão unilateral de um de seus membros. 

Para que a agricultura pudesse dar um salto  -  Nicarágua é país de escasso peso industrial  -  também era necessário construir infraestrutura logística para o escoamento da produção. Os investimentos estatais levaram o país a ter a maior e mais qualificada rede de rodovias de toda a América Central, um total de 25 mil km de vias asfaltadas, e, em muitos casos duplicadas e até iluminadas, como a estrada que liga Manágua a Leon, uma das grandes cidades nicas, centro universitário. Estradas asfaltadas e modernas interligam quase 100 por cento os 143 municípios do país

Outro grande esforço prioritário do modelo de inclusão sandinista é democratizar o acesso à água potável, o que já alcança a 97 por cento das localidades do País, incluindo a Costa Caribe, que, inaugurou, recentemente, uma estação de tratamento de água para a cidade de Bluefilds. Aliás, outro grande obstáculo superado pelo sandinismo é a interligação da Costa Pacífico com a Costa Caribe, que ficava totalmente isolada do país, acessível apenas por via aérea, pois não havia estradas como as que foram construídas, permitindo que em poucas horas o país seja cruzado por automóvel, do Caribe ao Pacífico.  Trata-se de região com outra configuração social e cultural, onde se fala um inglês creole, ademais das línguas dos povos originários ali residentes, entre eles os miskitos. A água potável , já praticamente universalizada na Nicarágua,  é também uma resposta sandinista aos que acusam o país de violar direitos humanos. Sem água potável, como se falar em direitos humanos, indaga o deputado sandinista Carlos Emílio Lopez, cobrando concretude ao debate sobre esta temática. Na polêmica, cabe recordar que o Brasil tem 35 milhões de Brasileiros sem acesso a água potável, além do que apenas 48 por cento de uma das maiores economias do mundo possui saneamento básico. 

Protagonismo feminino 

Nicarágua é reconhecida por estar entre as 5 nações de todo o mundo que registram maior equidade entre mulheres e homens. Aliás, nestas últimas eleições, uma lei obrigava que houvesse 50% de candidaturas femininas e 50% masculinas, sendo que a nominata das candidaturas femininas vinha em primeiro lugar nas boletas de votação, para aparecerem em destaque. Na Assembleia Nacional, o parlamento do país, há muito já existe uma paridade entre homens e mulheres, bem como na composição dos cargos ministeriais, levando a um comentário muito reproduzido “ aqui na Nicarágua , nos governam as mulheres”. Os partidos de esquerda no Brasil podem examinar seu próprio cenário e tirem suas conclusões em comparação com o protagonismo feminino na Nicarágua. Nas políticas de incentivo à participação protagonista das mulheres na economia, especialmente no cooperativismo, há direcionamento consciente e criterioso dos financiamentos estatais para projetos liderados por mulheres, uma forma concreta de combate ao patriarcalismo, herança colonial, combatida pelo sandinismo, que contou com a participação efetiva das mulheres na Revolução. Nestas eleições, todos os 6 partidos concorrentes, apresentaram metade de candidaturas femininas, inclusive para os cargos de presidente e vice presidente.  Algumas alas da esquerda brasileira, se buscassem informações concretas sobre o que realmente ocorre na Nicarágua, talvez pensassem melhor antes de compartilhar suas opiniões com as críticas promovidas pelo imperialismo contra o sandinismo. 


O golpe derrotado em 2018 

Prevendo que os efeitos do modelo de desenvolvimento inclusivo ia manter em alto a popularidade da Frente Sandinista, como de fato ocorreu, os EUA, por meio de suas agências de mudança de regime, de ingerência, de promoção de violência e desestabilizações dos  governos que não lhes são subservientes, desatou em Nicarágua uma tentativa de golpe, com o uso de um roteiro já utilizado na Venezuela, onde também foi derrotado, recorrendo às  “guarimbas“, ações violentas de rua, com tranque de avenidas, de estradas, de incêndio a instalações estatais mais utilizadas pela população.  

Foi assim que, a partir de abril, utilizando-se de um pretexto qualquer, jovens financiados do exterior, lançaram-se a bloquear avenidas e estradas, manifestações às quais compareciam armados, não sem instalar franco atiradores em regiões próximas para alvejar seja membros da polícia sandinista, seja populares indistintamente, sempre colocando a culpa no governo sandinista.  Imediatamente, logo ao início das manifestações, já havia jovens das universidades privadas, especialmente nos bairros mais ricos de Manágua, La Rotonda, participando do tranque de ruas, surgindo do nada,  quase que automaticamente,  a bandeira que pedia a Renúncia de Daniel Ortega, enquanto o presidente buscava instalar mesas de negociação para encontrar uma saída para uma crise que levou mais de 3 meses de duração, com mais de uma centena de mortos, entre eles policiais sandinistas atacados por grupos armados ilegalmente.  

Universidade públicas foram queimadas, mas as universidades privadas não. Postos de saúde e hospitais públicos foram queimados e depredados, estoques de medicamentos que são lá distribuídos gratuitamente, foram destruídos, incendiados, funcionários públicos foram alvo de violência, de torturas por estes grupos mercenários, que no melhor estilo terrorista aplicado na Síria, na Líbia, na Venezuela, buscaram alastrar o terror, enquanto a mídia capitalista, mundialmente, fazia sua parte, acusando o governo sandinista de ditadura.  

Daniel insistia na negociação, houve até um sensível debate interno sobre isto no sandinismo. A participação da Igreja Católica, neste episódio, foi lamentável, com a eclesiásticos permitindo o uso de instalações católicas, inclusive torres de igreja e colégios, para o  apoio a  grupos armados, como base para suas ações contra as massas sandinistas. Há vídeos documentando igrejas com armas, com diálogos gravados em que bispos e padres insuflavam e apoiavam a tentativa de golpe da direita, visando exatamente que não se realizassem as eleições de novembro de 2021. Pouco a pouco, com cuidado, as manifestações sandinistas foram se impondo, deixando claro sua posição de maioria, sem que o governo tivesse lançado mão do Exército às ruas. Pouco tempo depois, o Papa Francisco, informado da situação,  removeu 4 dos bispos mais implicados no apoio da Igreja aos mercenários golpistas, medida bem reveladora. 

O golpe de 2018 foi derrotado, mas permaneceu a tensão no ar. A conspiração da direita empresarial vinculada aos EUA continuou em alta, se avolumou,  os ataques internacionais aos sandinistas se multiplicaram, e até mesmo segmentos progressistas expuseram seus tremendos equívocos, como o ex-presidente uruguaio,  Pepe Mujica, que já havia demonstrado sua confusão ideológica ao indicar o nefasto Almagro, seu ex-chanceler, para Secretário Geral da OEA, quando o diplomático se revelou completamente teleguiado pela Casa Branca, chegando ao cúmulo de ser ator protagonista do golpe de direita na Bolívia contra o MAS, participação esta que está completamente revelada hoje. Mujica teria reconhecido seu erro, mas o preço pago por países alvo da OEA é elevadíssimo, e amargo.  Igualmente lamentável foi a participação do Conselho Interamericano de Direitos Humanos, chefiado pelo brasileiro Paulo Abrão, que, seguindo o roteiro traçado em Washington, em sintonia com Almagro, emitiu posições totalmente favoráveis aos golpistas nicaraguenses, com os quais foi solidário, condenando os sandinistas, vítimas de uma operação de Regime Change patrocinada pelos EUA. 

Passividade versus defesa da legalidade 

Na Nicarágua não houve passividade, como em outros lados, ante as conspirações organizadas pela Casa Branca. Passividade que ocorreu no Brasil, quando a Presidente Dilma Rousseff, não fez uso da prerrogativa legal de que dispunha para convocar uma cadeia de rádio e televisão, na qual chamaria o povo a defender o mandato presidencial que ele pertencia, tal como fez Leonel Brizola em 1961, com a Rede de Rádios da Legalidade, que começou contando com apenas uma radiozinha de Porto Alegre. Passividade é uma palavra que não faz parte do dicionário sandinista, a começar pelo próprio exemplo de Augusto César Sandino, pai da Revolução Sandinista e inspirador das políticas de justiça social praticadas pelo Governo de Daniel Ortega, por meio do cumprimento rigoroso e corajoso de sua legislação, que considera a soberania um bem estratégico dos nicaraguenses, em cuja defesa nenhum cidadão tem o direito de violar. Ao invés de afastamento, a Frente Sandinista reforçou sua relação direta com o povo, mobilizando-o, promovendo intenso debate de educação política, seja por TV (há 3 canais estatais), por rádio (há uma rádio comunitária de alcance nacional, La Primeiríssima), modesta mas audaciosa e elevada audiência, e pelos meios impressos e digitais, 

Assim foi quando, há poucos meses, a Embaixada dos EUA distribuiu financiamentos para líderes opositores, que chegaram a formar um batalhão armado de 900 mercenários, para barbarizar às vésperas das eleições, com o intuito de impedir sua realização, operação que teria ampla cobertura dos meios de comunicação empresariais, dentro e fora da Nicarágua. Como os sandinistas não são passivos, estavam infiltrados nesta força mercenária, documentaram toda a distribuição de dinheiro, a logística que precederia os atos de sabotagem, o recrutamento de provocadores profissionais, e abortaram todo o empreendimento golpista, em perfeita sintonia com a legislação nicaraguense, que considera crime contra a Pátria receber dinheiro de país estrangeiro para finalidades políticas. 

Tolerância zero com a conspiração golpista 

 Não há nenhuma surpresa quando Joe Biden ordena a OEA a desatar uma campanha visando deslegitimar a eleição presidencial da nicaraguense. Surpresa há quando esta campanha midiática contra um país de apenas 6,3 milhões de habitantes, invadido várias vezes pelos EUA, inclusive para organizar eleições no passado, com militares norte-americanos no comando do processo eleitoral, encontra eco em fileiras progressistas.  

Por acaso teriam se esquecido da campanha do “Mensalão”, uma guerra midiática visando derrubar o governo Lula? Teriam se esquecido que aqueles meios de propaganda que rotularam Lula de corrupto são os mesmos que agora chamam Daniel Ortega de ditador? Os que organizaram a operação de ingerência externa chamada Lava Jato, para derrubar Dilma, prender Lula e destruir a engenharia nacional, não são os mesmos que invadiram a Líbia, destruíram toda a infraestrutura lá construída por empresas brasileiras, substituindo-as por empresas dos EUA, e que agora se lançam contra a Nicarágua, por não aceitarem sua soberania, sua independência, e seu modelo de inclusão social?  Não são estes mesmos meios organizadores de Guerra midiática, como a revista Forbes, que acusava Fidel Castro de ser bilionário, os que agora se lançam contra Nicolás Maduro, e Daniel Ortega?  

É realmente surpreendente que setores progressistas de países que estão perdendo suas estatais, seus direitos trabalhistas, sua previdência pública, se animem a criticar os sandinistas, cujo modelo de desenvolvimento social inclusivo preserva políticas públicas, a previdência social, a saúde pública e gratuita, a educação  gratuita, os direitos do trabalhadores, além de avançar na transformação agrária, e tendo um controle efetivo sobre a Pandemia Covid 19, com cerca de 230 por falecidos e apenas 15 mil contaminados. Graças a um sistema de saúde comunitário, participativo e em moldes socialistas. Houve intensa mobilização popular, as famílias foram convocadas, e atenderam ao chamado do Ministério de Saúde para a prevenção. 

Na Nicarágua, o voto não é obrigatório! 

A vitória do povo da Nicarágua, que realizou uma festa cívica no dia 7 de novembro, sem tumultos, com uma preparação logística invejável, com 230 mil procuradores e policiais eleitorais que foram selecionados por meio de provas, nas quais deveriam comprovar conhecimento da História da Nicarágua, da Constituição, da Legislação Eleitoral, para o exercício do cargo. 

Ao final de tudo, cidadãos estadunidenses e canadenses, lançaram uma carta pública contestando Joe Biden por suas declarações sem provas, emitidas antes mesmo do encerramento do processo eleitoral. Declarações agressivas, desrespeitosas e com ameaças  contra Nicarágua. Os observadores dos EUA e Canadá acompanharam a eleição, visitaram as juntas de votação, conversaram com cidadãos de todas as tonalidades, conversaram com os partidos de oposição,  e puderam comprovar a lisura do pleito, a tremenda participação popular em ordem e tranquilidade, vencendo o medo das ameaças,  muitos usando barcos ou cabalos, outros caminhando longos percursos no campo para exercerem o voto consciente! 

Não houve surpresa em relação  à vitória sandinista, com 75 % dos votos válidos e um comparecimento de 65% do eleitorado apto a votar, onde o voto não é obrigatório e, além de tudo, houve uma campanha dos EUA pela abstenção, muito embora a direita tenha se dividido e uma parte dela tenha descarregado voto nos partidos conservadores, sendo o mais votado o Partido Liberal Constitucionalista, uma agremiação conservadora, existente há décadas, e que fez parte dos governos  neoliberais que demoliram, transitoriamente, as conquistas da Revolução Sandinista. 

Surpresa é ver um PSOE desconhecer a legitimidade da eleição de Daniel Ortega, mas não condenar  Jair Bolsonaro, 

Certamente, os partidos membros do Foro de São Paulo, entre eles o PT, que já firmaram, recentemente, declarações em defesa da Nicarágua Sandinista, terão oportunidade para realizarem um debate mais severo sobre  o caráter democrático e progressista das transformações sociais que se operam naquele país centro-americano, que não engrossa as caravanas de refugiados que se dirigem aos EUA, ao contrário, com regularidade recebe a visita de cidadãos hondurenhos e panamenhos, que fretam ônibus para irem a território nicaraguense para  usufruir de seu sistema de saúde nicaraguense e também  para  terem acesso a medicamentos , que, em seus países, registram preços nas alturas.  


Guerra midiática 

A guerra midiática contra a Nicarágua não dá tréguas. Muito embora a oposição conservadora tenha seus meios de comunicação funcionando, acusam os sandinistas de ditadores, do mesmo modo que o fazem na Venezuela. O surpreendente é que tais manipulações, grosseiras e sistemáticas, chegam a influenciar jornalistas do campo progressistas, que passam a tomar como referências as linhas editoriais dos grandes conglomerados de mídia empresarial dos EUA, como CNN, New York Times ou o espanhol El País, nos obrigando a um debate de ideias intenso e cuidadoso no campo progressista. Os governos populares, em qualquer lugar, são alvos de implacáveis campanha de desinformação. Os governos populares aqui no Brasil também o foram,  mas, mesmo assim, apesar da amarga experiência que vivemos hoje,  alguns segmentos da mídia progressista, ainda se deixam influenciar por certos ex-sandinistas, que há muito abandonaram o sonho de Sandino, e aderiram aos programas da Usaid e NED, com o que  encontram espaço fácil na comunicação empresarial internacional, desde que seja  para atacar uma Nicarágua que resiste, que preserva suas políticas públicas, suas conquistas,  sua soberania  e, surpreende o mundo com um modelo econômico que, segundo agências internacionais, deve registrar um crescimento de 8,5 % do PIB em 2021, recuperando –se dos efeitos do golpe de 2018, quando a economia foi paralisada por três meses. Qual país latino-americano registra tal desempenho econômico? 

Apesar de não romper relações com a Nicarágua, as ameaças de Joe Biden são reais, e destinam-se também a Cuba e Venezuela, mas também ao Brasil, apesar das ilusões de certos círculos progressistas que chegam a defender uma aproximação com mandatário da Casa Branca, apesar de sua efetiva participação no Golpe de 2016 no Brasil. 

A mensagem enviada ao mundo pelas massas sandinistas, por meio do voto consciente, muito contribui para estimular as forças de esquerda e, também, para colocar o debate nas esquerdas, no Brasil e no mundo, em termos mais concretos sobre tarefas indispensáveis para promover e assegurar conquistas dos governos populares.  

 Beto Almeida, jornalista

#imperialismo #nicaragua  #eeuuterrorista 

#nicaraguasoberana #americalatina

domingo, 16 de maio de 2021

Raimundo Jinkings - verbete


 JINKINGS, Raimundo Antonio da Costa (Santa Helena, estado do Maranhão, Brasil, 5/09/1927 – Belém do Pará, estado de Pará, Brasil, 5/10/1995).

Foi um editor, livreiro, jornalista, sindicalista e dirigente comunista brasileiro.

Nascido em 5 de setembro de 1927 no município de Santa Helena (área rural do Maranhão), proveniente de uma família de origem humilde, Jinkings passou a infância em seu vilarejo natal, onde ajudava o pai cuidando do rebanho de bois e cabras. Além disso, também levava mercadorias para a mercearia do progenitor em Pinheiro, localidade próxima onde viviam duas tias que pouco depois o acolheram em casa no início da adolescência. Lá estudou e trabalhou como ajudante de alfaiate e de sapateiro. Aos 17 anos, mudou-se para a capital do estado, São Luís, cidade em que exerceu a atividade de vendedor numa loja de tecidos, ao mesmo tempo em que dava continuidade aos seus estudos numa escola noturna.

Decidiu viver em Belém (Pará) em 1945, aos 18 anos de idade, alistando-se na Força Aérea Brasileira (FAB). Com o término do serviço militar, já com a patente de cabo, trabalhou como enfermeiro no hospital da Aeronáutica. Em 1950, passou no concurso para o Banco de Crédito da Amazônia, que mais tarde mudaria de nome para Banco da Amazônia, também conhecido como BASA (no qual ingressou como escriturário em 1951), formou-se no ginasial e foi eleito secretário-geral do Partido Socialista Brasileiro (PSB) no Pará (ele foi um dos fundadores daquela agremiação no estado, junto com jornalista, professor e advogado trabalhista Cleo Bernardo de Macambira Braga). O passo seguinte foi entrar para o tradicional “Colégio Estadual Paes de Carvalho”, com o objetivo de cursar o secundário.

O ano de 1952 foi importante para o jovem dirigente socialista, já que teve atuação destacada na luta dos bancários; como organizador do I Congresso Regional Norte de Defesa do Petróleo (vinculado à campanha “O petróleo é nosso”); e como periodista, escrevendo matérias polêmicas em publicações como Folha do Norte, Flash e Estado do Pará (Jinkings foi o primeiro jornalista condenado por crime de imprensa no Pará, por denunciar a corrupção do delegado geral do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) no estado, Moacir Santiago; após apelação, foi absolvido por unanimidade, saindo do julgamento carregado pelos amigos). Era comum vê-lo fazendo discursos em praça pública e em portas de fábrica naquela época. Casou-se com Maria Isa Tavares em 1953, a quem conhecera quatro anos antes.

Nesse período, matriculou-se na escola técnica “Fênix Caixeiral Paraense” e liderou, junto com Cléo Bernardo, a campanha “Marcha da Fome”, lançada por seu partido e reprimida duramente pelas autoridades policiais. Por causa disso, foi preso e processado pelo DOPS.

Em 1955 voltou ao Maranhão a trabalho, transferido para uma agência de seu banco na capital, onde assumiu a gerência (uma mudança imposta pelo presidente licenciado do BASA, Gabriel Hermes, como punição, por Jinkings tê-lo denunciado, num artigo de muita repercussão, por crime eleitoral). Como o PSB não estava instalado naquele estado, ingressou no mesmo ano no Partido Comunista do Brasil (PCB). Sua casa seria usada na época como “aparelho” para militantes que realizavam viagens a São Luís por motivos políticos.

O XX Congresso do PCUS, em 1956, certamente não passou despercebido por Raimundo Jinkings, que, mesmo estando ciente das acusações contra o legado de Joseph Stálin e o “culto à personalidade” avaliou que a atitude de Nikita Kruschev teria favorecido o imperialismo em sua tentativa de atacar o Movimento Comunista Internacional. Ele reconhecia todas as conquistas sociais soviéticas e achava que elas, certamente, poderiam ser aperfeiçoadas, mas acreditava que jamais se deveria permitir a destruição da URSS (em 1991, ele ficaria profundamente abalado com a dissolução do país).

Em 1959, retornou a Belém. Aquele ano foi emblemático, já que marcou o triunfo da revolução cubana. Como milhares de jovens latino-americanos, Jinkings também se encantou com a epopeia dos barbudos do Movimento 26 de Julho e admirou dirigentes como Fidel Castro e Che Guevara (ele criaria, posteriormente, o grupo “Amigos de Cuba”, para prestar solidariedade à ilha e também defenderia as lutas de libertação nacional na África e a revolução dos cravos em Portugal). No Brasil, por sua vez, durante o processo eleitoral que culminou com a vitória de Jânio Quadros, apoiou o general Henrique Teixeira Lott para presidente e João Goulart para vice.  Jinkings se tornou presidente do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) e secretário sindical do PCB.

Depois do golpe militar em 1964, Raimundo Jinkings (considerado pela ditadura como “o cabeça da subversão no Pará”) foi obrigado a se esconder durante um mês em residências de parentes, até negociar os termos de sua entrega à polícia, sendo imediatamente levado à prisão. Durante os “anos de chumbo” foi encarcerado em diferentes ocasiões, respondeu a diversos Inquéritos Policiais Militares (IPMs) e teve seus direitos políticos cassados (por causa de dificuldades financeiras, ele chegou, inclusive, a trabalhar como feirante na Praça Batista Campos, em Belém).

Dentro do partido, esteve próximo do grupo de dirigentes que contava com nomes como Horácio Macedo, Ivan Pinheiro e Juliano Siqueira. Ainda que admirasse a experiência cubana, posicionava-se contra a luta armada no Brasil (a linha oficial de seu partido), o que não impedia que sentisse profundo respeito pelo futuro fundador da Ação Libertadora Nacional (ALN) Carlos Marighella e de ser amigo de vários guerrilheiros naquele período (também foi admirador de Francisco Julião e das Ligas Camponesas, demonstrando contínuo apoio à luta pela reforma agrária).

Jinkings destacar-se-ia, ainda, como livreiro. A relação com os livros vinha da infância e adolescência. Aos 14 anos, leu As dores do mundo, do filósofo alemão Arthur Schopenhauer, obra que o marcou profundamente. Ao longo dos anos, passou a apreciar autores brasileiros como Lima Barreto, Graciliano Ramos, Monteiro Lobato, Raquel de Queiróz e Jorge Amado, assim como estrangeiros, como Máximo Górki, León Tolstói, Vladimir Maiakovski, Jean-Paul Sartre, Karl Marx, Friedrich Engels e V. I. Lênin (destes três últimos possuía as obras completas). No final da vida, a biblioteca pessoal de Jinkings contava com aproximadamente 10 mil exemplares.

Sua relação com editoras do Sul do país (como Brasiliense, Fulgor e Civilização Brasileira), assim como sua amizade com homens de letras, militantes e publishers da envergadura de Caio Prado Júnior e seu filho Caio Graco, certamente o impulsionou na nova atividade, fazendo com que inaugurasse em 1965, ao lado de Isa, a icônica Livraria Jinkings, que logo se transformou em um dos mais importantes centros de cultura e debates de Belém, além de possivelmente a principal livraria da região Norte do país. Diversos escritores conhecidos lançaram obras lá, entre os quais, Ziraldo, Milton Hatoum, Lígia Bojunga, Alfredo Oliveira, Rui Barata, Salomão Laredo e Max Martins. Isso não impediu que o local fosse recorrentemente visado pela ditadura e que chegasse a sofrer atentados (a fachada da livraria foi, inclusive, metralhada em certa ocasião). Ela se tornou um ponto de encontro da intelectualidade progressista da região e local onde, mais tarde, se realizariam reuniões da Frente Democrática de Oposição (FDO), fundada por ele em 1982, e da Sociedade Paraense dos Direitos Humanos (SPDH), os principais grupos que articulavam a luta pelas “Diretas já” naquele estado (época em que Jinkings era o editor do jornal Resistência).

Em 1974, a convite do PCC, ele e a esposa foram a Cuba (na década seguinte, Jinkings viajou novamente a Havana, desta vez para participar de uma conferência internacional sobre a dívida externa, um evento no qual teve destaque a presença de Luiz Carlos Prestes); em 1987, Raimundo esteve na União Soviética acompanhado de Isa (onde permaneceram por três semanas), ambos agraciados pelo PCB por terem sido campeões de venda de assinaturas do jornal Voz da Unidade em todo o país; e em 1994, ele recebeu o prêmio “Livreiro do Ano” (outorgado pela Associação Nacional do Livro), como reconhecimento da importância de seu trabalho. Jinkings também criou, com os colegas Carlos Sampaio e Amado Tupiassu, a primeira Editora Boitempo, que lançou livros de dirigentes e intelectuais marxistas como Mao Tsé-tung e Ho Chi Minh. A editora, por diferentes motivos, teria curta duração.

No início dos anos 1990, combateu o grupo “liquidacionista” encabeçado por Roberto Freire, que pretendia dissolver o PCB, apropriar-se de seu símbolo e de sua bandeira, assim como mudar seu nome para Partido Popular Socialista (PPS). Jinkings foi um dos que lutaram para a preservação da sigla e apoiou o início de sua reconstrução.

Raimundo Jinkings faleceu em 1995, aos 68 anos de idade. Ivana Jinkings (a caçula de cinco filhos), naquele mesmo ano, fundaria a nova Boitempo, que se tornaria uma das mais importantes editoras de Ciências Humanas do país.

Cómo citar esta entrada: Pericás, Luiz Bernardo (2021), “Jinkings, Raimundo”, en Diccionario biográfico de las izquierdas latinoamericanas. Disponible en http://diccionario.cedinci.org

http://diccionario.cedinci.org/jinkings-raimundo/


terça-feira, 7 de julho de 2020

As Pegadas da Máfia parte 2





Hoje um acontecimento significativo dessa história faz necessário abrir uma segunda postagem a partir da postada em junho de 2016, onde fazemos um rápido recorrido sobre a MÁFIA POLÍTICA JURÍDICA MIDIÁTICA que enlameia o País.

 Vale a pena ler e informar-se sobre como se dão as tramas que levam o País para o abismo desde muitos anos. Teias que se formam e são encobertas por interesses de classe e muita prevaricação. dava para fazer uma série de várias temporadas.


Para entender, leia também a parte 1 (A Máfia Política Jurídica Midiática)

DCM entrevistou o advogado da família da modelo assassinada (assista o vídeo):


Leia a íntegra da reportagem do DCM :

Prisão do assassino da modelo em MG não encerra o caso: Quem são os mandantes? Por Dino Miraglia

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/prisao-do-assassino-da-modelo-em-mg-nao-encerra-o-caso-quem-sao-os-mandantes-por-dino-miraglia/

outros links:

G1:  Foragido há oito anos, ex-detetive condenado pela morte da modelo Cristiana Ferreira é preso na Grande BH

Reinaldo Pacífico tem que cumprir pena de 14 anos de prisão. Cristiana foi morta em um flat de luxo em BH há 19 anos.
https://g1.globo.com/mg/minas-gerais/noticia/2020/07/06/foragido-ha-oito-anos-ex-detetive-condenado-pela-morte-da-modelo-cristiana-ferreira-e-preso-na-grande-bh.ghtml

Pragmatismo Político: Assassino da modelo Cristiana Ferreira é preso, mas mandante segue em liberdade
Após oito anos foragido, ex-detetive é preso por assassinato de modelo em Belo Horizonte. A jovem se envolveu com políticos famosos e poderosos e recebeu muito dinheiro. Antes de morrer, Cristiana havia ameaçado contar tudo que viu e viveu.
https://www.pragmatismopolitico.com.br/2020/07/assassino-modelo-cristiana-ferreira-reinaldo.html

________________________________________________________________________

Mais sobre a máfia mineira:


terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Importante exposição: a pobreza é criada pela política


Tereza Campelo, obrigada por esta entrevista. Mercadante, obrigada por trazer a Tereza Campelo e sua lucidez para explicar de forma tão didática o significado da atenção social e as consequências de sua negação.
"... tres meses que a criança fique comendo mal já é suficiente para deixá-la subnutrida... Você passa anos depois para recuperar"
"o Golpe devolve o Brasil ao mapa da Fome, confirma o IBGE de 2017" 
"A Pobreza é uma decorrência da Política." 
"Em dois anos de golpe a pobreza voltou" "A desnutrição voltou a crescer, assim como, infelizmente, o desemprego, os índices de mortalidade infantil..."
"Colocamos 1 milhão e duzentas mil cisternas no Nordeste!"
"Luz para todos para 4 milhões de famílias..." 
"O Bolsa Família melhorou todos os níveis de escolaridade... Haverá piora em todos os indicadores... "
"A agenda do combate à Fome, a ideia de colocar o pobre na agenda... não existe como um País dar certo com metade da população excluída" 
"Tem estudos mostrando numa das maiores revistas de medicina do mundo, mostrando que o Bolsa Família teve impacto na redução do suicídio das mulheres!... Também diminuiu a incidência de hanseníase, de tuberculose... no crescimento das crianças..." 
"Desmonte dos Direitos dos trabalhadores: os fundos do Ministério do Trabalho vão para o Ministério da Economia, a parte Sindical (absurdo!) vai para o Ministério da Justiça"


Tereza Campelo foi Ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Entenda a falcatrua via internet contra a Democracia







       
Aqui o The Intercept Brasil explica bem explicadinho como funciona:
a matéria do The Intercept completa está aqui: a materia completa esta aqui: https://theintercept.com/2018/10/22/whatsapp-politicos/






sábado, 3 de novembro de 2018

Raymundinho


Raymundo no ar

Soube apenas agora da morte de Raymundinho, no dia 25 de outubro passado. O jornalista Raymundo Costa, uma pessoa querida e meu parceiro em muitas reportagens nos tempos de Veja e de Isto É.  A pessoa é no trabalho o que é nas relações pessoais. E Raymundinho era assim, amável, divertido, sincero. Tenho a sorte de carregar na lembrança muitas histórias que vivemos juntos, algumas divertidas para lembrar e até sorrir.

fonte: https://www.valor.com.br/brasil/5947631/um-reporter-do-poder-e-suas-fontes

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

MACHISMO, RACISMO E HOMOFOBIA


MACHISMO, RACISMO E HOMOFOBIA

1 MACHISMO


Bolsonaro diz que não pagaria a mulheres o mesmo salário dos homens: https://www.youtube.com/watch?v=IEFzhEQtnSE


Projeto de Bolsonaro desobriga SUS de atender vítima de estupro:

"Não estupro porque você não merece, sua vagabunda", diz Bolsonaro a Maria do Rosário


Bolsonaro vira réu por incitação ao estupro e injúria:

Filho de Bolsonaro propõe esterilização forçada de mulheres pobres que receberem o Bolsa Família: https://blogdacidadania.com.br/2018/01/filho-de-bolsonaro-propoe-esterilizacao-forcada-de-mulheres-pobres/

2  RACISMO




Bolsonaro: “Quilombola não serve nem para procriar”:

Vice de Bolsonaro relaciona negros à malandragem e indígenas à indolência: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-08-07/vice-bolsonaro-declaracao-racista.html

'Política não é piada', afirma juíza ao condenar Bolsonaro por frases racistas: https://oglobo.globo.com/brasil/politica-nao-piada-afirma-juiza-ao-condenar-bolsonaro-por-frases-racistas-21902171

'Ele soa como nós': ex-líder da Ku Klux Klan elogia Bolsonaro, mas critica proximidade com Israel: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-45874344

 

 

3 HOMOFOBIA



Jair Bolsonaro ataca gays em entrevista para documentário inglês: ‘Nós, brasileiros, não gostamos dos homossexuais’: https://extra.globo.com/noticias/mundo/jair-bolsonaro-ataca-gays-em-entrevista-para-documentario-ingles-nos-brasileiros-nao-gostamos-dos-homossexuais-10487491.html

"Vizinho gay desvaloriza o imóvel": https://goo.gl/KAKDNd

‘Sou homofóbico, sim, com muito orgulho’, diz Bolsonaro em vídeo:


Bolsonaro debocha de lei contra homofobia e diz que não contrataria um gay para ser seu motorista: https://www.youtube.com/watch?v=TcOpf2d9mNM

Bolsonaro diz que sangue de gays é inferior ao de héteros: https://www.youtube.com/watch?v=Z1oGuNkGV2g

Faculdade tem mensagens homofóbicas, em apoio à tortura e elogios a Ustra e Bolsonaro:

"Não vou combater nem discriminar, mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater.": https://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff1905200210.htm

“Os gays não são semideuses. A maioria é fruto do consumo de drogas”: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/02/14/politica/1392402426_093148.html

"Ter filho gay é falta de porrada": https://www.youtube.com/watch?v=64G85tm_GyE


"Agora gostar de homossexual ninguém gosta, a gente suporta.":


4 MINORIAS


Bolsonaro ameaça terminar com 'todos os ativismos':

Bolsonaro e filho votaram contra lei que protege pessoas com deficiência: https://www.revistaforum.com.br/bolsonaro-e-filho-e-votaram-contra-lei-que-protege-pessoas-com-deficiencia/

Bolsonaro diz que não entraria em avião pilotado por cotista: https://www.youtube.com/watch?v=pAhUCLAqsxM

Bolsonaro diz que minoria deve se calar e se curvar diante a maioria: https://www.youtube.com/watch?v=WUBe-tkPqaY



"CIDADÃO DE BEM"

Defensor da ditadura, Jair Bolsonaro reforça frase polêmica: "o erro foi torturar e não matar": http://jovempanfm.uol.com.br/panico/defensor-da-ditadura-jair-bolsonaro-reforca-frase-polemica-o-erro-foi-torturar-e-nao-matar.html

Bolsonaro declara apoio à ditadura de 1964 e elogia Hitler como um grande estrategista: https://www.youtube.com/watch?v=ZBo-Vh5YARU

Bolsonaro foi condenado pela unanimidade do conselho com um libelo duro em que se registra “desvio grave de personalidade e uma deformação profissional”, “falta de coragem moral para sair do Exército” e “ter mentido ao longo de todo o processo”: https://istoe.com.br/o-julgamento-que-tirou-bolsonaro-do-anonimato/

Livro reúne histórias de crianças presas, torturadas ou exiladas durante a ditadura no Brasil: https://oglobo.globo.com/cultura/livros/livro-reune-historias-de-criancas-presas-torturadas-ou-exiladas-durante-ditadura-no-brasil-14496104

Bolsonaro diz ser a favor da pena de morte e que governo não precisa contratar ninguém para matar pois ele faz o trabalho de graça:

Bolsonaro diz que Estatuto da Criança e do Adolescente deve ser 'rasgado e jogado na latrina': https://oglobo.globo.com/brasil/bolsonaro-diz-que-eca-deve-ser-rasgado-jogado-na-latrina-23006248

Bolsonaro diz que filhos atiram com armas de fogo desde os 5 anos e que os pais devem ensinar os filhos a usar armas desde pequenos: https://www.youtube.com/watch?v=lY7M-4dDb24

Bolsonaro diz já ter feito sexo com galinha e que bateu em mulher aos 12 anos:

Bolsonaro ameaça quem divulgar fotos suas com coronel pedófilo, e imagem se torna viral: https://extra.globo.com/noticias/rio/bolsonaro-ameaca-quem-divulgar-fotos-suas-com-coronel-imagem-se-torna-viral-20115040.html

Homenagem feita por Bolsonaro durante a votação do impeachment de Dilma Rousseff para o coronel Brilhante Ustra, torturador e assassino da ditadura: https://globoplay.globo.com/v/4978620/


Bolsonaro, um nostálgico da ditadura que sonha com a presidência: https://istoe.com.br/bolsonaro-um-nostalgico-da-ditadura-que-sonha-com-a-presidencia/





Um retrato do torturador comandante Brilhante Ustra, segundo as suas vítimas: https://brasil.elpais.com/brasil/2016/04/20/politica/1461180363_636737.html

Carlos Bolsonaro será denunciado por apologia à tortura na Câmara do Rio: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/09/26/politica/1537997982_557864.html

As propostas de um candidato despreparado


Propostas do Bozonazi

Objetivo é fazer Brasil semelhante ao que 'era 40, 50 anos', diz Bolsonaro:


Bolsonaro diz que quer Alexandre Frota ministro da Cultura em vídeo:

Vice de Bolsonaro, Mourão critica 13º salário e fala em reforma trabalhista 'séria':


Bolsonaro defende educação à distância desde o ensino fundamental: https://oglobo.globo.com/brasil/bolsonaro-defende-educacao-distancia-desde-ensino-fundamental-22957843

Bolsonaro diz que jovem brasileiro tem "tara" por formação superior:

Jair Bolsonaro diz que, se eleito, pode privatizar Petrobras, uma das maiores empresas do Brasil, e entregar de vez a industria do petróleo na mão dos estrangeiros: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/08/bolsonaro-admite-possibilidade-de-privatizar-a-petrobras-apesar-de-se-dizer-pessoalmente-contra.shtml

Se você está preocupado com a crise, deveria se preocupar com o plano econômico de Jair Bolsonaro:



Bolsonaro diz que é favorável a tortura, guerra civil e fim do voto: https://www.youtube.com/watch?v=qIDyw9QKIvw


Porta-helicópteros comprado pela Marinha por R$ 350 milhões chega ao Rio no sábado:

Marun declara voto em Bolsonaro por enxergar agenda semelhante à de Temer:

A corrupção da família bozonazi

CORRUPÇÃO

Ao explicar R$ 200 mil da JBS, Bolsonaro admite que PP recebeu propina: “qual partido não recebe?”: https://jovempan.uol.com.br/programas/ao-explicar-r-200-mil-da-jbs-bolsonaro-admite-que-pp-recebeu-propina-qual-partido-nao-recebe.html


Funcionário fantasma, irmão de Jair Bolsonaro recebia R$ 17 mil por mês da Alesp: https://noticias.r7.com/brasil/funcionario-fantasma-irmao-de-jair-bolsonaro-recebia-r-17-mil-por-mes-da-alesp-07042016

Quando questionado sobre o auxílio moradia que recebia mesmo tendo casa, Bolsonaro diz que utilizava do dinheiro publico para "COMER GENTE": https://www.youtube.com/watch?v=HwwMlyQkw2Q

PP é o partido com o maior número de deputados investigados no STF:


Bolsonaro tem nome citado em lista na quebra de sigilo do tucano Aécio Neves: https://www.correiodobrasil.com.br/bolsonaro-tem-nome-citado-lista-quebra-sigilo-tucano-aecio/

Bolsonaro diz que sonega impostos: https://www.youtube.com/watch?v=ElBQbueU0tQ


Patrimônio de Jair Bolsonaro e filhos tem indícios de lavagem: https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2018-01-07/jair-bolsonaro-patrimonio-familia.html

Vídeo em que Bolsonaro admite que o dinheiro que recebeu de JBS era propina do partido dele: https://www.youtube.com/watch?v=D62y7u04-U8


Bolsonaro emprega servidora fantasma que vende açaí em Angra:

Tv Folha investiga a funcionária fantasma e os bens de Bolsonaro: https://www.youtube.com/watch?v=k99hXSytsyI

Bolsonaro e filhos possuem pelo menos R$ 15 milhões em imóveis: https://exame.abril.com.br/brasil/bolsonaro-e-filhos-possuem-pelo-menos-r-15-milhoes-em-imoveis/


Produtora de vídeo que só existe no papel recebeu R$ 240 mil da campanha de Bolsonaro:


Fundo ligado a Paulo Guedes lucrou R$ 590 mil com informação privilegiada:
https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/10/18/paulo-guedes-informacao-privilegiada-bolsa-de-valores-cvm-bolsonaro.htm

Atuação política medíocre do bozonazi


ATUAÇÃO POLÍTICA

Bolsonaro vota A FAVOR da PEC 241, que congela os gastos em saúde e educação durante 20 ANOS: https://catracalivre.com.br/cidadania/bolsonaro-vota-sim-pec-241-e-seguidores-se-revoltam-com-decisao/

Bolsonaro defendeu esterilização de pobres para combater miséria e crime:



Bolsonaro foi o único deputado a votar CONTRA o Fundo de Combate à Pobreza: https://exame.abril.com.br/economia/descubra-como-deputados-e-senadores-votaram-nos-ultimos-quatro-anos-m0064180/


Bolsonaro destinou 0,3% do valor de suas emendas para segurança pública:

Bolsonaro votou CONTRA o plano real e disse que o então presidente Fernando Henrique Cardoso merecia ser fuzilado: https://epocanegocios.globo.com/Brasil/noticia/2017/11/apesar-do-atual-aceno-liberal-bolsonaro-foi-contra-reformas-e-plano-que-domou-inflacao.html

Bolsonaro votou CONTRA o fim da pensão para filhas de militares: https://goo.gl/9L34YC

Alvo de Bolsonaro, Estatuto do Desarmamento evita 13,3 mil assassinatos por ano: https://www.brasildefato.com.br/2018/10/04/alvo-de-bolsonaro-estatuto-do-desarmamento-evita-133-mil-assassinatos-por-ano/

Como o discurso de Bolsonaro mudou ao longo de 27 anos na Câmara: https://www.bbc.com/portuguese/amp/brasil-42231485

BRASIL NUNCA MAIS

BRASIL NUNCA MAIS
clique para baixar. Íntegra ou tomos