segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Dicas

Quem nunca encheu a geladeira frutas, legumes e verduras, esperando começar uma alimentação mais saudável e teve uma surpresa com o passar do tempo?

É, as verduras e legumes são altamente perecíveis e delicados, portanto para conservá-los em sua melhor forma você deve lavá-los com antecedência, mas se você fizer isso você precisa secá-los. Parece um monte de trabalho? Bem, ao menos que você use o truque do papel toalha.

1. Lave bem as verduras e os legumes e afaste-os o melhor que puder na pia.

2. Coloque os legumes e as verduras lavadas em um saco com fechamento ziplock.

3. Coloque um par de toalhas de papel limpas e secas no saco com as verduras e os legumes.

Voilá! Seus vegetais foram salvos! A toalha de papel faz todo o trabalho. O único esforço que você faz é apenas para verificar todos os dias se o papel toalha está úmido, trocando imediatamente por uma folha seca.

Experimente estas dicas com os legumes e verduras que você já tem em sua geladeira. Diga-me quanto tempo você os mantém crocantes.


Fonte: GastroShop

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

A Educação Proibida

Importante que se assista a este curta. Fala para homens, mulheres e crianças de todas as idades, com criatividade: "Educação não é isso que se vê."

 
LA EDUCACION PROHIBIDA * Película completa 2:25 hs - Subtitles English/Portugues/Español.

Colabore con la difusiòn de este video compartiéndolo con sus amigos!




sábado, 14 de dezembro de 2013

Arnaldo Cardoso Rocha foi assassinado de forma vil e covarde. Mais uma farsa desmascarada.

por Leila Jinkings

Novo laudo, após exumação atesta a falsidade do atestado assinado pelos médicos legistas/torturadores Isaac Abramovitc e Orlando Brandão. Arnaldo Cardoso Rocha foi assassinado  de forma vil e covarde. Mais uma farsa desmascarada.

Só podemos ser perdoados como Estado quando repararmos totalmente essa História, não peço perdão por que acho que ainda não o merecemos. (Ministra Maria do Rosário)

  
exposição do laudo pericial após exumação do corpo de Arnaldo.

O laudo expõe minuciosamente as sevícias sofridas pelo estudante. Para azar dos agentes da repressão, incluídos aí os médicos de fachada, a sepultura de Arnaldo encheu-se de água e isso favoreceu a preservação dos restos mortais.


Ministra Maria do Rosário faz a entrega oficial do laudo que desmascara a mentira.
Mais uma mentira da ditadura e seus agentes nefastos vai para a
galeria da falsidade e da conivência de médicos legistas e da imprensa.
Iara Xavier Pereira, viúva de Arnaldo.
                                                         Iara Xavier Pereira, viúva de Arnaldo, e os pais dele, João de Deus Rocha e Annette Cardoso Rocha, lutaram pelo direito à exumação.                 






Rosa Maria afirma que o relatório final da Comissão Nacional da Verdade tem que ser claro ao apontar os autores de violações de direitos humanos: "Temos que estabelecer os autores das violações de DH e, claramente, as cadeias de comando".


Fotografias: Leila Jinkings/ Ferramenta Communicatio
Fontes:
Comissão Nacional da Verdade

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Uma tarde especial

Dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos. 

Lua Nova do Penar no MJ

por Leila Jinkings


Adorei. Foi uma tarde muito especial, quando
tive a honra de ser apresentada a Hiram Pereira
(Juliana Marinho Pires, depois do Dia Internacional dos DH)


Belo e significativo documentário. Passamos uma bela tarde,
lembrando, chorando e querendo um Brasil diferente.
Boa viagem! Com meus infinitos PARABÉNS!!

(Graça Bermam, após o Sábados Resistentes)


Leila Jinkings , Amarilis tavares, Sueli Bellato, Zodja Pereira, Sidnei Pires
Lua Nova do Penar no Dia Internacional dos Direitos Humanos.
No Auditório Tancredo Neves, Palácio da Justiça. mesa de abertura  -
foto Isaac Amorim F.

 


No Dia Internacional dos Direitos Humanos, a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça convidou para a exibição do documentário Lua Nova do Penar. Em seguida, um profícuo e prazeroso bate papo dos realizadores do filme, Leila Jinkings e Sidnei Pires, com o público.
Logo colocaremos algumas fotografias e depoimentos do evento. Foi emocionante -  muito mesmo. Tudo, os depoimentos e a participação de todos.


Encontros:    Zodja Pereira, Leila Jinkings e Maria Helena Ferrari

Nossos agradecimentos à equipe da Comissão da Anistia, que foi maravilhosa. Sueli Bellato, Amarílis Tavares, Bruno Scalco, Eliana Oliveira, Mariana, Priscila, todos enfim. 
Agradecimento especial a Paulo Abrão, que por força do trabalho incansável estava fora do país, e a todos que apoiaram.

Elza Lobo, depoimento generoso no sábados resistentesAgradecimento à Zodja Pereira, que veio de São Paulo especialmente para abrilhantar o evento e encantar os presentes. 
Estamos felizes, muito felizes com a tarde que nos proporcionou a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça.





Elza Lobo, depoimento generoso
no sábados resistentes


















Sidnei Pires, Leila Jinkings, 
Juliana Marinho, Claudia Pires, 
Luísa Lima, Fernando Mencarini 
















Eliana Lobo e Leila Jinkings      




Trailer do documentário no site: ttp://www.hirampereira.com/#!documentario/c1xdu)

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

EUA quase detonaram duas bombas atômicas sobre o próprio país

do amigo Mello, reproduzo esta bomba, que ilustra com perfeição a questão: "afinal quem é terrorista?"

EUA quase detonaram duas bombas atômicas sobre o próprio país - informa documento secreto divulgado pelo Guardian


Bomba H que quase provocou catástrofe


Três dias após o discurso de posse de John Kennedy como presidente dos Estados Unidos, em janeiro de 1961, um avião B-52 sofreu uma pane no ar, entrou em parafuso e liberou as duas bombas de Hidrogênio que carregava, sobre a Carolina do Norte. Uma caiu num rio e outra ficou presa numa árvore (imagem acima). Só não detonaram porque um dos cinco dispositivos de segurança não permitiu. Os outros quatro falharam. Cada uma delas com poder de destruição de 4 megatons, o equivalente a 4 milhões de toneladas de TNT, 260 vezes mais poderosas que as que arrasaram Hiroshima.

Elas poderiam ter dizimado Washington, Baltimore, Filadélfia e chegado até Nova Iorque, provocando a morte de milhões de pessoas.

A notícia foi divulgada pelo jornalista investigativo Eric Schlosser, no tradicionalíssimo The Guardian, no dia 20 de setembro de 2013, há quase duas semanas [íntegra aqui].

Você que me lê tomou conhecimento do fato em algum dos veículos de nossa mídia baba-ovo dos EUA?

Fonte: blog do Mello
http://blogdomello.blogspot.com.br/2013/10/eua-quase-detonaram-duas-bombas.html

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Só para quem não te conhece

 SÓ PARA QUEM NÃO TE CONHECE
   Leila Jinkings

O blog da Universidade do Texas, em Austin, com o sugestivo nome de Jornalismo das Américas, dá notícias sobre a prisão de um jornalista preso na Venezuela por atividades vinculadas ao Golpe de Estado. Diz a “reportagem” que a Sociedade Interamericana de Imprensa – SIP “exige a soltura do jornalista golpista”. Huuum... Mas não se preocupam com a perseguição e prisão de jornalistas nos EEUU por quê? Ah, você não sabe sobre isso? Claro que não, você teria lido aonde. O relatório do Wikileaks (reproduzido trecho abaixo) a respeito do filme “5º poder”, relata detalhadamente: as pressões, perseguições e até prisões de jornalistas nesse país que se julga acima de todos.

VEJAMOS QUEM É A SIP
A CIA mantém cerca 500 entidades (listadas e conhecidas) sob seu domínio e financiamento generoso.
A SIP, claro é uma das mais atuantes, disputando ‘pau a pau’ com a Jornalistas Sem Fronteiras.
“Fundada nos EUA em 1946, a entidade teve papel fundamental durante a Guerra Fria. Empenhou-se com afinco a etiquetar como “antidemocráticos” os governos latino-americanos que não se alinhavam com a Casa Branca. Constituiu-se em peça decisiva do clima psicológico que antecedeu levantes militares no continente entre os anos 60 e 80.” (http://heliofernandes.com.br, Quem é a Sociedade Interamericana de Imprensa – SIP, por Breno Altman).
Vejam trechos do relatório do Wikileaks e tire suas conclusões:
(…)
The US and UK governments are in the middle of a crackdown on whistleblowers and national security journalism. A confrontation between the free press and the secret state is currently playing out.

The scope of the crackdown on journalism has been expanded to include the Guardian, the New York Times, the Washington Post, Associated Press and FOX News. Recent months have seen the world's press slowly wake up to this fact.

In the past year, we have seen the Department of Justice ordering dragnet surveillance operations against Associated Press.


(…)
The UK government is engaging in prior restraint actions against the press. It has issued so-called “Defence Advisory” notices to dissuade newspapers in the UK from reporting on NSA and GCHQ spying. It has intimidated the Guardian UK into destroying hard drives and ceasing to report on leaked documents about GCHQ surveillance.

The most significant journalists and whistleblowers in the world are either political exiles, political prisoners, or the targets of criminal investigations by an overreaching security state.

The US government has just convicted Chelsea Manning and sentenced her to 35 years in prison.

The journalist Barrett Brown is in prison, facing trial. The charges he faces carry a maximum sentence of 105 years in prison. His pretrial detention has lasted for longer than a year so far. There is a gag order in place to prevent reportage on his trial.

NSA whistleblowers Thomas Drake, William Binney and Kirk J. Wiebe have been subjected to a vicious persecution effort over the last six years.
New York Times reporter James Risen is facing imprisonment because he refuses to reveal a journalistic source of a national security story.

FOX News reporter James Rosen was named as an “unindicted co-conspirator” in the prosecution of a State Department leaker. His phone records were taken, his emails were read, and his movements were tracked by the FBI.



quarta-feira, 14 de agosto de 2013

É hora de fazer alguma coisa




Quando os espanhóis "nos descobriram", há cinco séculos, a população da Ilha não ultrapassava os 200 mil hab, os quais viviam em equilíbrio com a natureza. As  fontes  de alimentos vinham dos rios, lagos e mares ricos em proteínas; e praticavam uma agricultura rudimentar que lhes fornecia calorias, vitaminas, sais minerais e fibras.

É hora de fazer alguma coisa.     (por Fidel Castro)


Vou contar um pouco de história 



 Quando os espanhóis "nos descobriram", há cinco séculos, o número estimado da população da Ilha não ultrapassava os 200 mil habitantes, os quais viviam em equilíbrio com a natureza. Suas fontes principais de alimentos procediam dos rios, lagos e mares ricos em proteínas; adicionalmente praticavam uma agricultura rudimentar que lhes fornecia calorias, vitaminas, sais minerais e fibras.

Nalgumas regiões de Cuba ainda existia o hábito de produzir casabe (um tipo de pão elaborado com mandioca). Determinados frutos e pequenos animais silvestres complementavam sua dieta. Fabricavam alguma bebida com produtos fermentados e transmitiram à cultura mundial o costume de fumar, muito daninho para a saúde.

A população atual de Cuba é, possivelmente, 60 vezes maior da que existia naquela época. Embora os espanhóis se misturassem com a população autóctone, essa população praticamente foi exterminada com o trabalho semi-escravo no campo e com a garimpagem de ouro nas areias dos rios.

A população indígena foi substituída pela importação de africanos, capturados à força e escravizados, uma prática cruel aplicada durante séculos.

De muita importância para nossa existência foram os hábitos alimentares criados. Fomos convertidos em consumidores de carne suína, bovina, ovina, consumidores de leite, queijo e outros derivados; trigo aveia, cevada, arroz, grão-de-bico, feijão, ervilha e outras leguminosas procedentes de climas diferentes.

Originariamente, dispunhamos do milho, e foi introduzida a cana-de-açúcar entre as plantas mais ricas em calorias.

 O café foi trazido pelos conquistadores da África; o cacau possivelmente foi trazido do México. Estes dois produtos, juntamente com o açúcar, o fumo e outros produtos tropicais, viraram enormes fontes de recursos para a metrópole, depois do levante dos escravos no Haiti, ocorrido no início do século 19.

O sistema de produção escravista perdurou até a transferência da soberania de Cuba para os Estados Unidos pelo colonialismo espanhol que, em guerra cruenta e extraordinária, foi derrotado pelos cubanos.

Quando a Revolução triunfou, em 1959, nossa Ilha era uma verdadeira colônia ianque. Os Estados Unidos enganaram e desarmaram nosso Exército Libertador. Não se podia falar duma agricultura desenvolvida, mas sim de imensas plantações, exploradas com o trabalho manual e animal que, em geral, não utilizavam fertilizantes nem maquinarias. As grandes usinas de açúcar eram de propriedade norte-americana. Várias delas tinham mais de cem hectares de terra; outras dezenas de milhares. No total eram mais de 150 usinas açucareiras, incluídas as dos cubanos, que trabalhavam menos de quatro meses cada ano.

Os Estados Unidos receberam os fornecimentos açucareiros de Cuba nas duas grandes guerras mundiais, e tinham concedido a nosso país uma cota de venda nos seus mercados, associada a compromissos comerciais e a limitações da nossa produção agrícola, apesar de que o açúcar era, em parte, produzida por eles. Outros setores decisivos da economia, como os portos e refinarias de petróleo, eram propriedade norte-americana. Suas empresas possuiam grandes bancos, centros industriais, jazidas, cais, linhas marítimas e ferrovias, além de serviços públicos tão vitais como os elétricos e telefônicos.

Para aqueles que desejem entender não é necessário nada mais.

Apesar de que as necessidades de produção de arroz, milho, óleo, sementes e outros alimentos era importante, os Estados Unidos estabeleciam determinados limites a tudo o que concorresse com sua produção nacional, incluído o açúçar subsidiado de beterraba.

Logicamente, quanto à produção de alimentos é um fato real que dentro dos limites geográficos dum país pequeno, tropical, chuvoso e ciclônico, desprovido de maquinaria agrícola, de sistemas de barragens, de irrigação e do equipamento adequado, Cuba não podia dispor de recursos, nem estava em condições de concorrer com as produções mecanizadas de soja, girassol, milho, leguminosas e arroz dos Estados Unidos. Algumas delas, como o trigo e a cevada, não podiam ser produzidas em nosso país.

Certo é que a Revolução cubana não teve um minuto de paz. Apenas foi decretada a Reforma Agrária, antes de completar-se o quinto mês do triunfo revolucionário, começaram os planos e ações de sabotagem, incêndios, obstruções e emprego de meios químicos daninhos contra o país. Estes incluíram pragas contra produções vitais e, inclusive, contra a saúde humana.

Ao subestimar o nosso povo e sua decisão de lutar por seus direitos e sua independência, os EUA cometeram um erro.

Claro que nenhum de nós tinha, nesse então, a experiência atingida durante muitos anos; atuávamos a partir de ideias justas e de uma concepção revolucionária. Talvez o principal erro de idealismo cometido foi pensar que no mundo havia uma determinada quantidade de justiça e respeito ao direito dos povos quando, certamente, não existia. Contudo, disso não dependeria a decisão de lutar.

A primeira tarefa que ocupou nosso esforço foi a preparação para a luta que se aproximava.

A experiência adquirida na batalha heróica contra a tirania batistiana, é que o inimigo, qualquer que fosse sua força, não podia vencer o povo cubano.

A preparação do país para a luta virou esforço principal do povo, e nos levou a episódios tão decisivos como a batalha contra a invasão mercenária, promovida pelos Estados Unidos, em abril de 1961, desembarcada na Baía dos Porcos e escoltada pela marinha ianque e pela aviação ianque.

terça-feira, 2 de julho de 2013

Eu sou Bradley Manning

We all are Bradley Manning

Fim à guerra a quem denuncia o que devia ser do domínio público.
http://iam.bradleymanning.org | #iambradleymanning

Presenças no video:

Maggie Gyllenhaal
Roger Waters
Oliver Stone
Daniel Ellsberg
Phil Donahue
Michael Ratner
Alice Walker
Tom Morello
Matt Taibbi
Peter Sarsgaard
Angela Davis
Moby
Molly Crabapple
Tim DeChristopher
LT Dan Choi
Bishop George Packard
Russell Brand
Allan Nairn
Chris Hedges
Wallace Shawn
Adhaf Soueif
Josh Stieber
Michael Ratner

Este video foi produzido por voluntários independentes, em colaboração para Bradley Manning Support Network. O inimigo é a verdade? Fim à guerra a quem denuncia o que devia ser do domínio público. Este video foi produzido por voluntários independentes, em colaboração para Bradley Manning Support Network.
http://www.bradleymanning.org/wp-content/uploads/2013/03/BEOWkKiCAAEYT8E-300x232.jpeg
http://www.bradleymanning.org/
Mais informação em iam.bradleymanning.org

domingo, 9 de junho de 2013

Hiram de Lima Pereira - Centenário

2013 é o ano do Centenário de Hiram de Lima Pereira. São 100 anos de nascimento no dia 03 de outubro e 39 de seu desaparecimento. Entre as importantes homenagens que ele recebe estão o documentário Lua Nova do Penar e o site Hiram de Lima Pereira.

Lua Nova do Penar - o documentário

Hiram de Lima Pereira foi capturado e morto pela repressão da ditadura implantada em 1964. Jornalista, ator, poeta e militante comunista deixou gravada forte personalidade.  As filhas Nadja, Sacha Lídice, Zodja e Hânya. Quase 40 anos depois, as filhas se encontram para falar sobre o pai. veja o trailer


Realização Leila Jinkings e Sidnei Pires
Documentário, 30min 2013

Hiram de Lima Pereira - O site

O site do centenário reúne depoimentos, lembranças, informações, músicas de autoria de Hiram e de Célia, cantos das filhas, poesias e mais as contribuições que surgirem:

clique na imagem
                                        

disponível também no Vimeo
-

sábado, 8 de junho de 2013

Blogs indicam fim da manipulação

PESQUISA: PT NÃO FOI PREJUDICADO POR MENSALÃO

Imagem do partido não mudou para 59%. Ficou pior para 26% e melhor para 11% após o julgamento do STF, considerado pela grande mídia como o maior escândalo de corrupção da história; dados são do Instituto Vox Populi


O que tanto martelou a oposição não se concretizou, de acordo com uma pesquisa do Instituto Vox Populi cujo resultado foi divulgado pelo colunista Ilimar Franco nesta sexta-feira 7.

O julgamento do 'mensalão', que condenou petistas e quase envolveu o ex-presidente Lula – considerado pela grande imprensa como o maior escândalo de corrupção da história – não afetou a imagem do PT para a maioria dos eleitores.

Leia abaixo nota sobre o assunto publicada na coluna política de Ilimar Franco, do jornal O Globo:
O PT e o mensalão

O Instituto Vox Populi mediu o dano provocado ao PT pelo julgamento do mensalão. A pesquisa, feita em maio para petistas, registrou que a imagem do partido não mudou para 59%. Ficou pior para 26% e melhor para 11%. Sua atuação é considerada positiva para 59% e negativa para 23%. O PT tem hoje a simpatia de 29% dos ouvidos, o mesmo patamar anterior ao escândalo.

Fonte: portal 247, em 08 de junho de 2013

BRASIL NUNCA MAIS

BRASIL NUNCA MAIS
clique para baixar. Íntegra ou tomos